sexta-feira, 20 de março de 2009

Lili (MGM 1953)


Quando eu era menininho existiam ainda nos (muitos) cinemas de Copacabana as chamadas “Sessões infantis”.
O Metro Copacabana fazia muitas (além dos seus “festivais”: Greta Garbo, Operetas de Jeanette MacDonald e Nelson Eddy etc.). Esse cinema era uma maravilha e amávamos não só os filmes maravilhosos (Assisti “O mágico de Oz” pela primeira na minha vida, lá!) como também toda a atmosfera daquele “templo”: O tapete alto e fofo, o Foyer com retratos de artistas da Metro e lindos espelhos, as paredes revestidas de mogno e – indescritível – o melhor ar-condicionado que conheci (até hoje...) em toda minha vida! Era tudo tão “Radio City Music Hall” e ainda por cima “bem na esquina de nossa casa”. Quem não conheceu esses cinemas não conheceu o Rio, a cidade maravilhosa que foi, numa época que parece estar distante “anos luz” de 2009...

“Lili” (MGM 1953) foi um desses filmes que deixou em todos nós profundas lembranças e esperanças... da mesma forma como também para gerações anteriores e posteriores à minha. Claro que depois eu comecei a admirá-lo pela produção, danças, atores (Mel Ferrer também incrível neste filme, seu último papel principal em Hollywood... Inexplicável, principalmente porque este filme foi um grande sucesso de crítica e bilheteria!), roteiro... e até por seu valor literário (o livro original é do maravilhoso, inteligentíssimo Paul Gallico, um homem cheio de fantasia – vide minha postagem de 10 de junho de 2008 sobre ele, onde Lili também é mencionada) mas o rostinho, a sinceridade, a fantasia da orfã Lili jamais desaparecerá de dentro de mim. Graças a Deus!

Eu me lembro muito bem do texto da musiquinha de Lili em português. Este disquinho (compacto, transparente e azul!!!! ) era constantemente tocado na minha vitrolinha portátil de plástico cinza que eu levava para cima e para baixo (funcionava com pilhas!) em todos os passeios e de férias para Penedo:


“ Um passarinho me ensinou
uma canção feliz.
E quando solitária estou,
Mais triste do que triste sou,
Recordo o que ele me ensinou...
Uma canção feliz...

Eu vivo a vida cantando,
Hi Lili, Hi Lili, Hi lo…
Por isto sempre contente estou,
O que passou, passou…
O mundo gira de pressa
E nestas voltas eu vou.
Cantando a canção tão feliz que diz,
Hi Lili, Hi Lili, Hi Lo...
Cantando a canção tão feliz que diz,
Hi Lili, Hi Lili, Hi Lo... ”


Para quem quizer lembrar-se de Leslie Caron e de sua maravilhosa Lili (Caron foi indicada para o Oscar em 1953 por este filme, como seria anos depois no seríssimo “The L-shaped Room”), aqui o texto original e uma ceninha que vive de certa forma nos corações daqueles que ainda são jovens...

“On every tree there sits a bird
Singing a song of love
On every tree there sits a bird
And every one I ever heard
Could break my heart
Without a word
Singing a song of love

A song of love is a sad song
Hi-li Hi-lili Hi-lo
A song of love is a song of woe
Don't ask me how I know
A song of love is a sad song
For I have loved and it's so

Hi-lili Hi-lili Hi-lo Hi-lo
Hi-lili Hi-lili Hi-lo
">
A song of love is a sad song
Hi-lili Hi-lili Hi-lo
A song of love is a song of woe
Don't ask me how I know
A song of love is a sad song
For I have loved and it's so

Hi-lili Hi-lili Hi-lo Hi-lo
Hi-lili Hi-lili Hi-lo"

Uma pena este filme nao existir em DVD... Gostaria tanto que voces revissem todas as quatro marionetes... as quatro personalidades de Mel... (existem outras versoes mais longas no Youtube...). Mas o que eu queria fazer aqui foi feito. Trazer do passado a carinha, a inocencia, os olhinhos cheios de luz e a sinceridade da linda Leslie/Lili...

30 comentários:

Efigênia Coutinho disse...

Ricardo, hoje eu fiz uma volta ao tempo, quando dos meus 8 ou 10 anos, vi este musical, que me marcou para toda uma vida vivida, que momento belíssimo rever em seu Blog, este que foi para mim um marco em minha vida, muito obrigada, seria impossível negar, que pequeninos cristais rolam em minha face,
Efigênia Coutinho
ps: quem desejar ver uma imagem deste evento que eu fiz, basta seguir este Link:
http://www.avspe.eti.br/\efi5\lili\lili.htm

Anônimo disse...

Você reparou que a bonequinha bailarina é a cara da Dercy Gonçalves nos últimos anos?
Mauri

Pena disse...

Amigo(s):
Segui este delicioso texto com um fascínio incalculável perante o vosso apurado bom gosto e simpatia.
Adorei! Considero-o, simplesmente delicioso. Lindo.
Fiquei sensibilizado, acreditem?
Abraço amigo de imenso respeito e gigante estima.
Com admiração e consideração gigantes

pena

Fabuloso!

Anônimo disse...

Amigos:
Um Post simplesmente delicioso. Lindo.
Abraço de imenso respeito e estima.
Com admiração...
O AMIGO SINCERO

pena

Adorava comentar, mas não sei como fazê-lo, após tentar.

Selena Sartorelo disse...

Parabéns, você trouxe, quero dizer você levou-me para um tempo que não lembrava mais e não é o Rio, mas sim a minha infância. quantas histórias maravilhosas e tão bem contadas em linhas tão enxutas.

abraços,
Selena

Anônimo disse...

Primo, que saudades do cine metro copacabana,onde iamos muitas vezes!
Lili, é uma bela lembrança da infancia,que filme lindo, dificil de esquecer, amei esta postagem e as fotos, que recordação!!!!!
Bjks Marluce

paçoca disse...

Que delícia, amei. Tenha um ótimo final de semana!!!

Suely Mesquita disse...

Ricardo, como vc consegue ser assim?
rsrsrs
muitos beijos com carinho.
e sim, a bailarina é a cara da Dercy!
Suely

Dani Antunes disse...

Amigo querido, não tenho conseguido ler teu blog. O que houve, hein?!
As letras andam meio embaralhadas há um tempo já pra mim..

Bjs

caminada disse...

Lili, que filme lindo. Não me lembrava dele, embora rostos como o de Leslie Caron, Cid Charisse, entre outros, obviamente, de bailarinas, nunca tenham saído da minha memória.
Creio que foi vovô que me levou para assisti-lo. Com ele eu sempre via filmes musicais, inclusive as operetas cantadas por Jeanette MacDonald e Nelson Eddy, principalmente; e via também, e adorava, as chanchadas da Atlântida.
Engraçadas, as pessoas. Vovô era um homem conservador, que morara em Londres 9 anos, que em casa só ouvia árias de óperas ou Wagner, naqueles velhos álbuns de discos 78 rotações. Dava um trabalhão e o som era estranho, mas ele ouvia essa música e não outra.
Contudo, ele adorava os musicais e as chanchadas. Vá entender.
Saudades. O Tertúlia desperta saudades doces, nunca amargas. Mamãe e papai - e vovô também - adorariam conhecê-lo e curti-lo, tenho certeza.
Saudades deles. Doces, suaves.
Bjsss.

Cristiana Fonseca disse...

Postagem encantadora.
Voltarei com mais calma para ler, neste momento me dediquei ao vídeo, voltarei com a atenção que a postagem merece.
Abraços,
Cris

Fragmentos Betty Martins disse...

.______querido Ricardo



um momento____mágico
repleto de ternura

.obrigada pela partilha







__________///


beijO____ternO

Kaplan disse...

com certeza, quando eu era menino também na minha cidade havia estas matinés aos domingos de manhã; os pais enviavam os filhos ao cinema enquanto as mães faziam o almoço e eles tomavam vermouth na praça; era o tempo do mago de oz, do zorro, da shirley temple, do marcelino pão e vinho, da marisol e das películas de rim-tim-tim. ah! tempos eram aqueles...

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Lili! voltei ao passado. Eu sonhava com este filme, em ser parecida, meiga, dócil, feliz...
Sonhei...
Agora falando sério postagem magnífica esta .
Aqui a arte e o bom gosto andam juntos.
beijos, apareça

tertulías disse...

como é bom ouvir, ler certos comentários... imaginem só que uma velha fera disse que eu só escreco sobre filmes "velhos"....

alice disse...

Ricardo,

com lágrimas felizes voltei à cortina da sala da minha avó na Felipe de Oliveira, 4, quando eu ´me apresentava´ para parentes e amigas cantando e dançando Hi-lili! Será que você pode imaginar a alegria que me deu com esta matéria?! Meu pai me levava ao Metro Copacabana quase todos os domingos, mas eu não me lembro deste filme, só da música.
Vim conhecer o seu Blog e já desconecto feliz. Você é super! Vou ler tudo com calma!

Carinho pra você!
Alice

tertulías disse...

Alice? isto é uma coincidencia? voce nao é a filha da Letícia? Eu sou o filho da Neyde!!!!

Pena disse...

Lindos Amigos:
Admirável. Genial.
Um texto cintilante de sonho.
Um sonho que nos catapulta para a harmonia e o bem-estar que suscita e desencadeeia no leitor. Repleto de sonhos doces e deliciosos.
Excelente!
Abraço cordial de imenso respeito.
Com admiração gigantesca, perfeitos Amigos enormes...

pena

OBRIGADO pela vossa simpatia e amabilidade no meu blog.
Bem-Hajam!

Danielle disse...

Que legal que você gostou do blog "Filmes clássicos e atuais"!! Estava olhando o seu blog e ele é show!! Mentira que você viu a Greta Garbo e a Jeanette MacDonald no cinema?! Que inveja!

Abraços
Danielle

Anônimo disse...

This is one of my all-time favorites!!!! :-) Mike

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Lili é uma boneca ,que canta que chora e que ri.
beijos

Anne M. Moor disse...

Lembranças de minha infância pipocam após a leitura de teu texto brilhante e depois de ver o vídeo. Que lindo!!! Vivi os primeiros 10 anos de minha vida em Montevidéu e também havia um Cine Metro... O mágico de Oz àquela época era mostrado em todos os aniversários de nossa idade. Filmes mágicos e a inocência da 'Lili' traz esperança pros dias de hoje...

Beijos

Anônimo disse...

MAIS UMA LINDESA, LESLIE CARON E SUA LILI.ESSES BELOS E INOCENTES FILMES Q Ñ SE FAZ MAIS.
OBRIGADA AMIGO QUERIDO POR MAIS ESSA LINDA LEMBRANÇA.
BJUS,SILVIA MARRONEY.

Rejanne disse...

Adorei a pagina!
Estou procurando o nome de quem gravou a letra em portugues lá nos anos "60" e não encontro.
Vc sabe ???

RDOB disse...

Olá! Obrigado pelo lindo texto! Ninguém ama esse filme mais do que eu! Eu amo a atriz, os bonecos. Sempre procuro informações sobre ele. Creio que eu tenha um arquivo bastante considerável de Lili, com dezenas de fotos, o filme em DVD original, e outras versões, como dublados em português e espanhol. Também tenho o CD com a trilha que saiu só no EUA, com todas as canções e bônus raros. Esse filme é maravilhoso!!! Os bonequinhos, que eu tanto amo, hoje em dia, se encontram num museu de marionetes, em St. Monica. Espero poder vê-los um dia.

Abraços à todos que amam Lili, como eu.

RDOB disse...

Quem quiser saber mais sobre Lili, me escreva:

rodrigobermardes2012@gmail.com

Terei prazer em contar-lhe tudo que sei sobre o meu amado filme.

Sérgio disse...

Lindo post!

Aline disse...

Alguém tem a versão completa abaixo?

Lili é uma boneca que canta, que chora que ri...

Aline disse...

Alguém tem a versão completa ou letra abaixo?

Lili é uma boneca que canta que chora que ri...

As Tertulías disse...

Sorry, mas esta letra eu no conheco...